Francis Alÿs- Paradoxo da prática (às vezes fazer algo não leva a nada)

Na performance o paradoxo da prática (às vezes fazer algo leva a nada), realizada em 1997, Francis Alÿs empurra pelas ruas da Cidade do México um bloco de gelo até derretê-lo por completo. Esta é uma ação simples, absurda, plena de desassossego. Afinal de contas, o que faz um homem com roupa simples e despojada empurrando uma pedra de gelo por quilômetros pelas ruas quentes do centro de uma das cidades mais populosas do mundo? Nada? Acaso empurraria ele questões filosóficas? O que faz a utilidade exigida socialmente derreter-se pelo asfalto? Pode ser que ele seja alguém que se dá tempo para fazer o inútil, exercendo uma vontade desvinculada da sua força de trabalho, direcionada para o consumo de bens e serviços. Ele se propõe a executar um desejo singular, que ecoa pelas necessidades inauditas, que faz a diferença consistir. O que seria mais político que o questionamento do uso do tempo? Tempo é diferente de vida?

 

Referências

Site oficial de Francis Alÿs com vídeos de suas performances:

http://www.francisalys.com/

comentário crítico acerca do trabalho de Francis Alÿs:

http://bienalmercosul.siteprofissional.com/artista/230

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s