Fuleragem: pulando corda

Diego Azambuja, membro do Grupo de Pesquisa Corpos Informáticos,  pulando corda nas margens do Lago Paranoá.

“Nossos ‘quadros vivos’ oscilam entre a sensualidade, a nudez e a brincadeira. Também pulam corda pelados e se divertem vendo o pinto e os peitos subindo e descendo em câmera lenta. Esta nudez não é ‘cadavérica’ nem se esconde na ‘quermesse de vômitos’. Ela acontece em plena luz do dia, no leito do lago ou no prédio da CAPES*, em Brasília” (AQUINO E MEDEIROS, p.47)

*CAPES: Coordenação de aperfeiçoamento pessoal de nível superior.

Fuleragem de 2011.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s